3 Min para ler

O futuro do Alojamento Local: ações do governo e mudanças

Por: Keezag
O futuro do Alojamento Local: ações do governo e mudanças

O isolamento social trouxe inúmeras consequências para diferentes mercados. Um deles é o turístico que, por sua vez, atingiu diretamente o imobiliário – no que diz respeito aos alojamentos locais. Afinal, o que podemos esperar sobre o futuro do alojamento local? Ações do governo de Portugal apontam mudanças para que este mercado não fique tão prejudicado.


Os números de novos registos para alojamento local caíram rigorosamente. Para termos uma ideia, no mês de abril de 2020 foram registadas 189 unidades, bem diferente do número 1750 face ao mesmo período de 2019. Em reportagem ao Jornal Económico (que poderá ler na íntegra neste link), Manuel Braga, CEO da Imovendo, diz que “quem apostou no AL procura agora alternativas, como a venda de ativos ou a sua colocação no mercado de arrendamento de longa duração”. Segundo o Jornal de Negócios, a Confidencial Imobiliário divulgou uma queda de 62% em Lisboa, enquanto no Porto o decréscimo foi de 52% com relação ao número de vendas de diárias no alojamento local.

Para contornar a situação, o governo português, entre outras propostas, decidiu isentar o sector do pagamento por conta do IRC. A notícia foi recebida positivamente pela a ALEP (Associação do Alojamento Local em Portugal): ““Acho que era algo justo e essencial, sobretudo num ano que vai ser muito difícil para o sector. Não fazia sentido ter de proceder ao seu pagamento, existindo apenas prejuízo”, contou Eduardo Miranda, presidente da ALEP, para a Agência Lusa.

Outra saída proposta é a de converter o alojamento local (AL) em habitações de arrendamento de longa duração. Este programa de apoio municipal foi apresentado pelo Primeiro Ministro António Costa, no dia 04 de junho, na reunião do Conselho de Ministros. Na ocasião, Costa disse que o governo pretende apoiar os programas municipais em curso, como em Lisboa e Porto.

Incertezas? Talvez não

Mesmo com os números abaixo do esperado de novos alojamentos locais, o jornal espanhol El Mundo publicou uma lista de destinos mais procurados em todo o mundo e Portugal aparece em terceiro lugar do ranking de reservas de hotéis e alojamentos locais.

Os dados, que foram divulgados pela Travel Gate, mostram a Espanha em primeiro lugar com 33,75%, seguido dos Estados Unidos com 31,5% e Portugal com 9,8%. Aparecem também na lista Itália (2,13%), França (2,8%) e o México (2,06%). Em Portugal, a região mais procurada é a de Faro.

Partilhar:

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *