6 Min para ler

Vender um imóvel: Saiba quais os erros mais comuns

Por: Patrícia Nogueira
Vender um imóvel: Saiba quais os erros mais comuns

Vender um imóvel é um processo que requer esforço , sabedoria e alguns cuidados. É moroso e pode chegar a ser exaustivo se não souber como proceder desde o momento em que decide vender a sua casa até à venda da mesma. Desde a forma como valoriza o seu imóvel à escolha do consultor ideal, todos os passos contam. Apresentamos-lhe os sete erros mais comuns e que deve evitar se quiser vender rapidamente o seu imóvel.


Vender apenas o imóvel.

Para começar, coloque-se no lugar de quem compra um imóvel. Quem está interessado em mudar de casa, fá-lo não só pelo espaço, mas principalmente pela localização. Serviços, comércio, transportes, proximidade do centro, proximidade da praia ou um maior contacto com a natureza, são os fatores decisivos para quem está indeciso na compra de um imóvel.

Durante as visitas, peça ao seu consultor imobiliário que destaque esses pontos, é importante que o potencial comprador se imagine a viver no local.

Desvalorizar o aspeto do imóvel.

Este é um dos erros mais cometidos pelos proprietários. É comum encontrar casas com potencial, mas que não têm mobília, os espaços continuam personalizados ou simplesmente não sofreram reparações. Mais uma vez, coloque-se no lugar de quem compra um imóvel. Ninguém quer comprar algo que não esteja bem tratado – do exterior ao interior, todos os pormenores contam.

Comece por reparar os pequenos defeitos que mesmo enquanto morador o incomodavam. Caso não tenha mobília, pode sempre optar por decorar uma das divisões com o básico, o objetivo é mostrar o potencial de cada espaço. Por outro lado, pode apostar no Homestaging. Nesta fase todos os investimentos serão para valorizar o imóvel.

Algumas empresas dedicadas ao homestaging indicam que, no caso de turismo de habitação, a taxa de ocupação pode subir até 30%, e nos imóveis para venda, o valor pode subir até 15%. Não desvalorize o impacto de uma primeira impressão!

Querer vender o imóvel com um valor desajustado do mercado.

Quando queremos vender um imóvel, é normal que o primeiro desejo seja querer lucrar o máximo com ele.

Este é o erro mais comum por parte dos proprietários: definirem um valor de venda com base em suposições de terceiros ou valor emocional.

Quando decide vender uma casa, está também a competir com outros imóveis com o mesmo valor e características. Colocar o imóvel à venda por um preço demasiado alto tendo em conta o valor de mercado irá fazer com que o imóvel fique parado, sem comprador, durante mais tempo do que o pretendido.

Deve efetuar um estudo de mercado, analisando a oferta noutros sites de promoção imobiliária e perceber quais os valores praticados à data em imóveis com as mesmas características do seu. Por exemplo, a keezag estabeleceu uma parceria com o Confidencial Imobiliário, um databank independente e a única fonte, em Portugal, de dados estatísticos sobre preços reais de transação, yields e contratos de arrendamento de imóveis residenciais. De forma gratuita, pode pedir o estudo de preço do seu imóvel.

Contudo, fale sempre com o seu mediador imobiliário que, pela experiência de mercado, saberá aconselhar o valor mais competitivo.

Escolher mais do que uma agência ou vender o imóvel sozinho.

“Quantos mais consultores promoverem a minha casa, mais hipóteses tenho de que seja vendida” ou, “Não quero pagar comissões para vender a minha casa”. Estes pensamentos não são os mais corretos.

Vamos começar por entender qual o papel do consultor imobiliário na venda de um imóvel. Um consultor, para além de já conhecer bem todas as partes envolvidas e o mercado, é também quem confirma a validade e veracidade da documentação necessária, fornece informações, promove o imóvel, gere as visitas ao mesmo e organiza todo o processo de pós-venda. Os consultores são pessoas especializadas na compra e venda de imóveis. Se quando precisava de mudar um cano, chama um canalizador, quando precisa de vender uma casa porque não chamar um especialista na venda da mesma?

Quando tomamos a decisão de vender um imóvel e escolher quem será o mediador, um dos pontos mais discutidos na assinatura do contrato de mediação imobiliária é, se será ou não viável optar por um regime de exclusividade. Podemos pensar que optar por escolher um regime não exclusivo, ou seja, mais do que uma agência, – por terem cada uma os seus contactos – pode acelerar o processo de venda. Contudo, quantidade nem sempre é qualidade.

Opte por escolher um consultor em vez de vários. Um consultor imobiliário com um contrato de angariação exclusivo sente que tem maior probabilidade de vender o imóvel – afinal mais ninguém o pode fazer – e vai investir mais na divulgação do imóvel do que normalmente acontece em contratos não exclusivos.

Por exemplo, no caso de Inglaterra e Estados Unidos, os dois maiores mercados imobiliários, cerca de 95% das propriedades trabalham em regime exclusivo.

Não escolher o consultor imobiliário certo.

O processo e venda de uma casa pode ser feito de decisões precipitadas, pela pressa em vender o imóvel ou pelo desconhecimento sobre o mundo imobiliário.

A escolha do consultor é a escolha mais importante, uma vez que será quem vai representar o imóvel em todas a fases.

Na keezag pode escolher o consultor que melhor se adequa ao seu imóvel. O processo é muito simples. Após submeter o imóvel na plataforma, irá receber propostas de vários consultores que trabalham na zona do seu imóvel. As propostas incluem o plano de vendas, o percurso profissional do consultor, a sua performance nos últimos tempos, os serviços que tem para lhe oferecer e ainda o tempo de exclusividade que escolheu. Assim, pode comparar vários consultores e escolher o melhor para representar o seu imóvel.

(Ouça o testemunho de um proprietário que já encontrou o consultor ideal com a keezag: AQUI)

Desvalorizar o mercado estrangeiro.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2019, os estrangeiros compravam 54 casas por dia em Portugal, valor que representava 8,2% de todos os imóveis transacionados durante esse ano, totalizando 19.912 casas vendidas. Ainda acha que quem vê o seu imóvel são apenas os seus vizinhos?

É possível comprar uma casa no Brasil sem sair do conforto do nosso sofá. E se isto é possível, então é importante que valorize o seu imóvel para quem não o pode visitar numa primeira instância. Aposte em visitas virtuais e publicite o seu imóvel em sites direcionados a estrangeiros que querem comprar casa em Portugal.

Não se ajustar ao mercado.

O mercado é exigente e muito competitivo. Aposte na valorização visual do imóvel, não descure o papel das redes sociais e procure digitalizar o processo.

Devido à pandemia o contacto humano é preferencialmente evitado, por isso, as proptechs, empresas de tecnologia na área do imobiliário, estão a fazer com que o mundo não pare e se aproxime através do digital. Desde a escolha do consultor à avaliação instantânea de um imóvel, tudo é possível, basta estar atento!

No momento de vender casa, a opção mais acertada é contratar um profissional. Este irá evitar com que caia nestes erros.

Boa venda! 😀

Partilhar:

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *